Instituto Politécnico de Coimbra

      Pós-Graduação em Mediação de Conflitos

      Instituto Politécnico de Coimbra
      Online

      Preço para verificar
      Ou preferes ligar para o centro agora?
      23979... Ver mais

      Informação importante

      Tipologia Pos-graduação
      Metodologia Online
      Duração Flexível
      Início Datas a escolher
      Campus online Sim
      Envio de material didático Sim
      Serviço de informação Sim
      Aulas virtuais Sim
      • Pos-graduação
      • Online
      • Duração:
        Flexível
      • Início:
        Datas a escolher
      • Campus online
      • Envio de material didático
      • Serviço de informação
      • Aulas virtuais
      Descrição

      Licenciados em qualquer área e que tenham interesse em exercer a função de medidores de conflitos no setor público ou privado.

      Instalações (1)
      Instalações e datas
      Início Localização
      Datas a escolher
      Online
      Início Datas a escolher
      Localização
      Online

      Perguntas & Respostas

      Levanta as tuas perguntas e outros utilizadores poder-te-ão responder

      O que se aprende nesse curso?

      Conflitos
      Mediadores
      Habilitar
      Mediação
      Liberal
      Cidadania
      Resolução
      Voluntária
      Litigância
      Eficiente

      Programa

      ÂMBITO E OBJETIVOS

      A pós-graduação em Mediação de Conflitos pretende habilitar mediadores de conflitos para atuar, quer no sistema de mediação pública no âmbito dos Julgados de Paz, quer no sistema de mediação privada como atividade liberal.

      A Mediação de Conflitos permite que as partes procedam ao exercício de cidadania numa resolução eficiente e eficaz dos seus conflitos de forma voluntária, participativa, negociada, informal, igualitária e célebre em detrimento do modelo tradicional da resolução de conflitos/litigância com base nos Tribunais.

      A área de atuação do mediador é bastante abrangente e diversificada: condomínio, arrendamento, ações de entrega de coisas móveis, responsabilidade contratual e extracontratual, direitos reais (propriedade, usufruto, servidão legal), entre muitas outras.

      Com a reforma da Justiça operada em 2014, as populações têm maiores dificuldades em recorrer aos Tribunais para a resolução dos seus litígios, ou porque os tribunais encerraram, ou porque as custas judicias não permitem dado o seu elevado valor, ou porque o tempo de resolução dos conflitos se arrasta meses e anos. A Mediação ao invés é informal, célere e menos onerosa.
      Esta é a oportunidade para apostar numa profissão com futuro.